Não te estás a esquecer do aquecimento? Parte 1

Junta-te à conversa

É deveras uma das coisas que mais se ignora, daí pedimos à One Way Performance Solutions que nos escrevesse um artigo sobre isto.

O aquecimento tem como principal função aumentar a temperatura corporal e deixar o corpo preparado para o exercício. Pode ser dividido em aquecimento geral (corrida ligeira, bicicleta, etc) que tem como função aumentar a temperatura corporal; e aquecimento específico (exercícios de encontro à atividade que se vai realizar) que tem como função aumentar a ativação neuromuscular das estruturas que irão ser utilizadas no exercício.

É comum ver nos ginásios 4 tipos de pessoas, sendo o último aquele que menos se encontra:
• As que não aquecem;
• As que aquecem demasiado;
• As que aquecem de forma errada;
• As que aquecem corretamente;

Falemos então dos 3 primeiros tipos de pessoas, começando pelo primeiro: pessoas que não aquecem. Este tipo de pessoas é aquele sai do balneário, vai direto para a sala de pesos e começar a fazer o seu treino sem qualquer tipo de aquecimento.

Cientificamente está comprovado que o aquecimento ajuda a reduzir o risco de lesões, ora vejamos um exemplo prático: imaginemos os nossos músculos como uma banda elástica. Passamos grande parte do dia em posições estáticas onde não usamos estas “bandas elásticas” que têm como função “esticar e encolher”. Estas “bandas elásticas”, que são os nossos músculos, estão rígidas por falta de movimento. E o que acontece quando se puxa repentinamente um elástico rígido com força? Exato… Para além disso as nossas estruturas neuromusculares não estão preparadas para o esforço, pois é o nosso cérebro que controla os nossos músculos e faz com que estes se contraiam. Imaginemos: é como ligar um carro e passar de repente do 0 aos 180km/h com o motor completamente frio. Não será muito bom para o carro…

No outro extremo temos as pessoas que aquecem demasiado. Quantas vezes não nos deparamos com aquelas pessoas que começam com 10 minutos de passadeira, fazem mais 5 minutos de bicicleta e mais 5 minutos de elíptica. Depois fazem alongamentos, mobilidade articular, começam a pegar em pesos e fazem 20 ou trinta repetições, etc, etc. Chega! Perder 40 minutos a aquecer é uma perda de tempo! A menos que faças cargas muito elevadas em que demores a chegar à tua carga inicial de trabalho, aquecer mais 30 ou 40 minutos é completamente non-sense! Vais criar fadiga desnecessária que afetará a tua performance no treino.

Por último temos as pessoas que aquecem de forma errada. Estas são as pessoas mais comuns, são aquelas que pensam que estão a fazer tudo bem. Neste grupo também se podem incluir as que aquecem em demasiado.
Aqui entra a parte que falamos inicialmente: o aquecimento específico. O aquecimento geral normalmente não é o problema aqui, mas sim o aquecimento específico. Quantas vezes não vemos alguém a fazer flexões de braços para a seguir ir fazer agachamentos? Ou então alguém a alongar os músculos posteriores da coxa para fazer Curl de Bicep?

É mais comum do que aquilo que se imagina. Outros abusam da intensidade no aquecimento, esquecendo-se que é apenas isso, um aquecimento!

Não percas a parte 2 do blog onde te damos alguns exemplos de aquecimentos.

 

Os comentários estão fechados