Mitos de Alimentação e Treino – parte 1

Mitos saudáveis
Junta-te à conversa

Algumas verdades e inverdades acerca da alimentação, perda e ganho de gordura e consumo de suplementos

Temos mitos de alimentação e treino para desconstruir e te revelar. Provavelmente alguns destes (ou todos) já conheces, mas o que é certo é que ainda continuam a ser tidos como verdades. Nesta primeira parte, abordamos alguns mitos relacionados com o ganho e perda de gordura. No próximo artigo falaremos de mitos sobre o consumo de alguns suplementos.

Mito 1: Comer comida com gordura, engorda

Mito 1: Comer comida com gordura, engorda

Parece óbvio, certo? Mas o que por vezes dá-mos por certo, pode estar errado. O facto de consumimos gordura não significa que ela permaneça no nosso corpo como gordura. Na verdade, a gordura (com moderação) faz parte de uma dieta equilibrada e saudável.

A questão é que existem diferentes tipos de gordura, assim, certifica-te que consomes as boas, como é o caso de abacates, nozes e sementes. Estas, não só te fornecem as gorduras que necessitas como são uma fonte de vitaminas e minerais. Alimentos como batatas fritas não contêm nutrientes, ou seja, sendo desnecessárias deves evitar.

Além disso, se queres ganhar peso deverás consumir mais calorias do que as que queimas.

Mito 2: Comer hidratos de carbono engorda-te

Mito 2: Comer hidratos de carbono engorda-te

Então, se não se engorda comendo gordura, certamente que ficamos gordos ao consumir hidratos de carbono? Na verdade, também não. O mesmo conceito das gorduras também se aplica aos carboidratos, ou seja, é tudo acerca de manter um bom e saudável equilíbrio!

Geralmente, para que os hidratos de carbono engordem, têm de ser consumidos sem haver prática de exercício e uma má alimentação.

O problema dos hidratos de carbono é o consumo daqueles que são refinados, altamente processados e/ou com pouco valor nutricional real, como um pão de canela ou batatas fritas. Uma maçã, também é alta em carboidratos, mas é saudável.

Portanto, não elimines os hidratos de carbono, antes opta por fontes boas e naturais.

Mito 3: O treino localizado ajuda-te a queimar gordura numa área específica

Mito 3: O treino localizado ajuda-te a queimar gordura numa área específica

Todos já lemos algures sobre como podemos obter um six-pack e destruir a gordura da barriga fazendo apenas abdominais, por exemplo. Infelizmente, a perda de gordura não funciona pelo treino de uma área específica. É claro que é óptimo fazer abdominais, pois fortalece os abdómenes, no entanto, não queima gordura nessa área específica.

Os padrões de perda de gordura têm mais a ver com o corpo único de um indivíduo do que com os exercícios realizados numa área específica.

Mito 4 -controlar a perda de gordura com balança

Mito 4: A balança é a melhor forma para te ajudar a controlar a perda de gordura

Estás a seguir uma dieta, fazes exercício regularmente e queres acompanhar teu progresso, logo pensas “uso uma balança”, certo? Errado! O teu peso pode induzir-te em erro. O corpo humano é mais do que apenas gordura, também é água e músculos. Se perdeste 1 kg, pode significar apenas que perdeste peso da água; se pesas mais 1kg pode significar simplesmente que ganhaste massa muscular. Se quiseres acompanhar o teu progresso, tenta monitorizar a partir da tua aparência e de como te sentes. Não confies na balança, pois não diferencia entre músculo, gordura ou água.

Mito 5: comer muitas vezes ao longo do dia

Mito 5: É melhor comer muitas vezes, em poucas porções ao longo do dia para manter “a chama acesa”

É muitas vezes afirmado que as pessoas devem comer muitas refeições pequenas, ao longo do dia, para manter o metabolismo alto. Mas comer 2-3 refeições por dia tem o mesmo efeito no total de calorias queimadas como comer 5-6 (ou mais) refeições menores. Comer com frequência pode ter benefícios para algumas pessoas (como prevenir a fome excessiva ou não ficar muitas horas sem comer entre as principais refeições), mas é incorreto que isso afete a quantidade de calorias que queimamos.

Mito 6: Aquecer comida no microondas

Mito 6: Aquecer a comida no microondas destrói os valor nutricional

O termo “radição” assusta as pessoas e é um comum afirmar-se que cozinhar alimentos no microondas pode ser prejudicial para a nossa saúde. Enquanto as ondas de energia usadas para aquecer alimentos no microondas são semelhantes a outros tipos mais perigosos, a questão é que eles são muito, muito mais curtos e visam apenas determinadas moléculas, como a água. A energia das ondas faz com que as moléculas vibrem, gerando calor e cozinhando o alimento. A Harvard Medical School ressalta que o uso de um microondas para cozinhar alimentos pode realmente ser benéfico, já que os tempos de cozedura são menores e menos água é necessária, permitindo que alimentos como brócolos mantenham mais seu valor nutricional do que se tivessem sido cozidos.

 

Os comentários estão fechados